Manifestantes atacam sede do PMDB e depredam bar na Vicente Machado em protesto contra Temer

Manifestantes contrários ao governo de Michel Temer promoveram mais uma sessão de quebra-quebra na noite deste domingo (4) em Curitiba. Desta vez, o grupo caminhou da Praça 19 de Dezembro, no Centro Cívico, até a Rua Vicente Machado, onde fica a sede do PMDB, no Centro. Os vândalos jogaram pedras contra a sede do partido, quebraram vidros e picharam as paredes. A maioria estava com o rosto coberto. Um bar na mesma rua também foi alvo dos manifestantes, assim como duas agências bancárias.

O ato começou por volta das 17 horas e se encerrou em torno das 21 horas na Boca Maldita, por volta das 21h. Ninguém foi preso, segundo a Polícia Militar.

Segundo a contagem da PM, aproximadamente 500 pessoas participaram da manifestação. Já conforme informações repassadas pela organização do evento, mais de 5 mil manifestantes fizeram parte do protesto.  Carros que estavam estacionados na Rua Vicente Machado também foram alvo da destruição.

Este foi o terceiro protesto contra a posse do presidente Michel Temer (PMDB), realizada após o desfecho do impeachment de Dilma Rousseff (PT), no último dia 31.

Em entrevista ao Jornal Gazeta do Povo, o secretário-geral do PMDB no Paraná, deputado federal João Arruda, classificou os ataques como lamentáveis. “É um vandalismo absurdo. Eu acho que não é coisa de petista. A militância do PT sabe que o [senador Roberto] Requião é contra o impeachment e é presidente do partido no estado”, afirma.

Vandalismo do dia 2

Na noite de sexta-feira, 2, mais de três mil manifestantes tomaram as ruas de Curitiba e quebraram vidros da Federação da Indústria do Estado do Paraná (Fiep), acusada de colaborar para a substituição da ex-presidente Dilma Rousseff por Michel Temer, e também picharam e quebraram vidros do jornal Gazeta do Povo.

Na opinião de Igor Borck, ligado aos movimentos estudantis, as manifestações devem acontecer de forma pacífica, mas são necessárias para que a população tome conhecimento do que tem ocorrido. “Não podemos aceitar o golpe que foi dado, Michel Temer não é o presidente legítimo, temos que manter essa mobilização, contrária ao golpismo e também brigarmos por novas eleições para presidente”, disse.

Ato de repúdio

No fim da noite, a Associação Brasileira de Bares e Casas Noturnas – ABRABAR – divulgou nota de repúdio aos atos de vandalismo.

A ABRABAR vem a público repudiar as ações de covardia e vandalismo contra os estabelecimentos privados ou públicos, especialmente de nossa categoria que são ambientes de descontração e lazer de cidadãos que estudam e trabalham por uma vida melhor e digna, principalmente que geram emprego e renda a centenas de trabalhadores.
Estaremos colaborando com as autoridades no fornecimento de imagens para que seja identificados e punidos os covardes e moleques autores. E Que não se repita mais!”, diz a nota.

A matéria é da Banda B

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

%d blogueiros gostam disto: