Mascarados invadem prédio histórico da UFPR com tumulto e quebra-quebra; assista ao momento da invasão

Prédio ocupado na Santos Andrade – Reprodução Facebook Ocupa UFPR
Prédio ocupado na Santos Andrade – Reprodução Facebook Ocupa UFPR

Banda B – Um grupo de pessoas mascaradas ocupou o prédio histórico da Universidade Federal do Paraná (UFPR), na Praça Santos Andrade, na noite desta quinta-feira (3). Imagens do momento da ocupação foram divulgadas nas redes sociais e mostram que houve tumulto e quebra-quebra. De acordo com relato de alunos nas redes, os mascarados chegaram ao prédio por volta das 22h30. A porta da entrada principal teve os vidros quebrados. Os invasores exigiram que professores e alunos deixassem o prédio. Após a saída, a porta principal recebeu corrente e cadeado e os mascarados ficaram no local.

A invasão faz parte do protesto de um grupo de estudantes que vêm se mantendo em greve em protesto contra a PEC do Teto, que determina limites para os gastos públicos por 20 anos e que tramita no Congresso Nacional. Além do prédio da Santos Andrade, também estão ocupados outros prédios da universidade, como o campus da Reitoria, também no centro de Curitiba.

Segundo reportagem da Gazeta do Povo, os mascarados empunhavam uma bandeira nas cores vermelha e preta. Um sofá foi colocado contra a porta de entrada, pelo lado de dentro, de forma a não permitir que seja visto o que é feito dentro do prédio. Hoje, pela manhã, o prédio da Santos Andrade seguia ocupado.

Relato de estudante

Uma estudante que estava no local no momento da invasão, relatou à Banda B o que aconteceu no prédio. Ela diz que, por alguns momentos, foi impedida de sair do prédio pelo grupo invasor:

“Por volta das 22:30, a faculdade de Direito da UFPR foi ocupada, por diversos estudantes de outros cursos, que não estudam no prédio. Como espero transporte até as 23h, todos os dias, dentro do prédio, quase fiquei presa lá dentro no momento em que eles estavam trancando, ao tentar sair, fui empurrada e socada pelos ocupantes. A maior parte dos que estão lá dentro estão encapuzados. Eles deixaram pessoas que não participam do movimento presas lá dentro em cárcere privado, quebraram vidros da porta e sabe Deus o que mais. Toda a legitimidade do movimento se perdeu no dia de hoje. O curso de Direito fez uma assembleia na segunda feira e optou por votar em urnas sobre a ocupação, o que seria feito na segunda-feira que vem. Nos foi tirada toda a autonomia e liberdade. E após ser agredida, só espero que justiça seja feita.”, disse a jovem.

Assista ao vídeo postado no Youtube com o momento da ocupação e o depoimento de um mascarado que foi esfaqueado na mão ao tentar impedir a entrada de uma pessoa:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

%d blogueiros gostam disto: