POLÍTICA: Gaeco cumpre mandados em investigação de fraudes em licitações do transporte coletivo

Gulin foi flagrado na sede do Gaeco (Foto: Djalma Malaquias – Banda B)

Banda B – O Gaeco (Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado) realiza nesta terça-feira (21) a segunda fase da Operação Riquixá. A investigação é contra fraudes em licitação do transporte coletivo em cidades do Paraná. Na sede do Gaeco, estava presente Donato Gulin, que com a família é dono de 70% das linhas do transporte coletivo da capital e também tem empresas no interior do Paraná.

Foram cumpridos mandados de busca e apreensão, além de condução coercitiva. A presença de Donato Gulin na sede do Gaeco pode ter relação com mandados de busca que foram cumpridos na residência dele em Curitiba. Não se sabe se o empresário será ouvido pelos promotores do Gaeco.

Na primeira fase da operação foram 22 pessoas investigadas. Foram denunciados: o ex-prefeito do município, Luiz Fernando Ribas Carli; a ex-secretária de Administração; o ex-diretor do departamento de licitações da prefeitura; além de dois ex-assessores e dos donos da concessionária que comanda o transporte coletivo em Guarapuava, a Pérola do Oeste. Um dos representas desta empresa é da família Gulin.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

%d blogueiros gostam disto: